BM escreve: Hadestown – Uma tragédia necessária

Foto por Matthew Murphy

Como todo jovem fã de Percy Jackson eu gostava da Cultura Grega, e ao me deparar com Hadestown, um musical sobre uma das primeiras tragédias do mundo, fiquei curioso. Ao dar o play no álbum, veio o seguinte trecho:

Era uma vez, uma linha de trem
Não pergunte onde, irmão, não pergunte quando
Era a estrada pro inferno, eram tempos difíceis
Era um mundo de deuses e homens!

Imediatamente ouvi todo o álbum e comecei a pesquisar sobre a o musical. 

O musical “Hadestown” é uma obra-prima que mistura mitologia grega, música folk e temas atemporais para contar uma história que ressoa profundamente com o público. Escrito por Anaïs Mitchell e dirigido por Rachel Chavkin, o musical é uma adaptação moderna do mito de Orfeu e Eurídice, ambientado em um cenário pós-apocalíptico que lembra uma versão sombria do submundo.

Uma das principais mensagens de “Hadestown” é a importância da bondade e da resiliência, mesmo em face das circunstâncias mais sombrias. No mundo distópico do musical, a sociedade está dividida entre os que estão no “Hadestown”, uma cidade subterrânea governada por Hades, e aqueles que estão na superfície, onde o inverno parece não ter fim. Os habitantes do Hadestown vivem em condições opressivas, enquanto os da superfície lutam para sobreviver. No entanto, o amor entre Orfeu e Eurídice, e a busca incansável de Orfeu para resgatá-la do submundo, demonstram a capacidade da humanidade de perseverar através do amor e da empatia.

A ideia de continuar contando histórias também desempenha um papel fundamental em “Hadestown”. A personagem de Hermes (Deus das Mensagens), que narra a história ao longo do musical, lembra-nos da importância de manter viva a chama da arte, da narrativa e da cultura. Mesmo em um mundo sombrio e desesperador, as histórias e a música têm o poder de inspirar esperança, unir as pessoas e transmitir lições valiosas de geração em geração.

Foto por Matthew Murphy

Assim, “Hadestown” nos recorda que a bondade e a compaixão são virtudes universais que podem iluminar até mesmo os lugares mais sombrios. Além disso, ele celebra a capacidade das histórias e da arte para conectar as pessoas e lembrar-nos de nossa humanidade compartilhada. O musical nos inspira a ser corajosos, a enfrentar desafios e a continuar contando histórias, pois são essas histórias que nos ajudam a encontrar significado e propósito, independentemente das adversidades que possamos enfrentar.

Como o próprio narrador da obra, Deus Hermes, explica no começo, a história de Orfeu e Eurídice é uma tragédia escrita há muito tempo e nada pode ser feito para alterá-la, porém precisamos continuar contando, pois apenas assim não será esquecida.

Porque fazer o bem é difícil, é duro, mas com perseverança é possível ver um mundo como o próprio Deus fala:

Veja, Orfeu era um menino pobre
Mas ele tinha um presente para dar
Ele poderia fazer você ver como o mundo poderia ser
Apesar da maneira como é

BM

Autor: Marcos Paulo
Edição: Brígida Rodrigues

Brígida Rodrigues

Olá! Eu sou a Brígida, estudo Letras e sou uma completa apaixonada por Teatro Musical. Como os meus amigos não aguentam mais me ouvir falar da Broadway e afins, estou aqui para compartilhar um pouquinho desse amor com vocês.

Post navigation

Deixe um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *